Eu li: Persuasão

terça-feira, agosto 31, 2010

"O enredo deste empolgante livro gira em torno dos amores de Anne Elliot que se apaixonara pelo pobre, mas ambicioso jovem oficial da marinha, capitão Frederick Wentworth. A família de Anne não concorda com essa relação e a convence romper seu relacionamento amoroso. Anos após Anne reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove.
Persuasão, é amplamente apreciada, pois tem uma simpática história de amor, de trama simples e bem elaborada, e mostra o estilo de narrativa irônica de Jane Austen. Além disto, é original, pelo fato, entre outros motivos, de ser uma das poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em plena juventude. O romance também é um apanágio ao homem de iniciativa, através do personagem do capitão Frederick Wentworth que parte de uma origem humilde e que alcança influência e status pela força de seus méritos e não através de herança."
 
Título: Persuasão
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
                                             N° de Págs: 241
 
Persuasão foi um livro que me fez lê-lo de coração aberto, pois eu já conhecia bem a narrativa da Jane, e fiu totalmente despretenciosa. E o resultado foi o melhor possível, consegui terminar a leitura em dois dias, e foi totalmente gratificante. O livro é ótimoe a Anne Elliot faz vc gostar dela por ser uma jovem sincera e decidida a não desperdiçar uma segunda chance de ser feliz, a grande oportunidade da sua vida. 
 
Quando sua primeira chance de casar escapada de suas mãos por causa de um conselho dado, Anne se vê presa num amor que não se desprende do seu coração. Sua "consultora" e amiga acha que está falando o melhor para ela, mas essa decisão só magoou nossa protagonista. Mas depois de anos o nosso cavalheiro reaparece, ainda bonito e solteiro, o que deixa Anne totalmente confusa.
 
Senti pena da Anne em muitas ocasiões pois a família dela é totalmente estranha. Uma irmã louca e muito egoísta, um pai que não tem a menor noção de quem é ou gostaria de ser, a única normal é ela, e fiquei muito agradecida por isso. kkkkk
 
Uma coisa me deixou muito confusa: o fato de não conseguir identificar o sentimento de Frederick - nosso lindo cavalheiro. Ele passa o livro tentando arrumar uma noiva, mas depois rende-se ao amor quando uma oportunidade aparece.
 
Meu Trecho Favorito: "Com certeza, se houver uma afeição constante, nossos corações não tardarão a se compreender. Não somos crianças para nos irritarmos caprichosamente ou sermos iludidos pelos equívocos do momento, brincando levianamente com a nossa própria felicidade."
 
Jane Austen começou a escrever Persuasão, seu último romance completo, após ter terminado de escrever Emma, e concluiu-o, em agosto de 1816. O livro foi publicado, postumamente, em 1818 e serviu como base do roteiro sobre o romance dos personagens interpretados por Sandra Bullock e Keanu Reeves, no filme A Casa do Lago, de 2006.
 
É um livro lindo que vai tocar seu coração, e quando há o reencontro me arrancou muitos suspiros. Espero que gostem!!
 
XOXO,

Eu ouço: Carrie Underwood - Simplesmente Diva

domingo, agosto 29, 2010



Já faz muito tempo que quero fazer uma linda postagem sobre a Carrie. Na minha humilde opinião essa artista veio para ficar e realemte ficou. Ela não é nada prepotente, é de uma simplicidade incrível, e que voz maravilhosa. A primeira vez que ouvi falar dela, pensei: "Não acredito que é uma copia da Taylor Swift, no estilo country?". Mas me enganei feio, porque diferente da Taylor, que às vezes tem uma voz irritante, a Carrie tem a voz mais doce que já ouvi na minha vida. Admito que o estilo country me deixou meio com o pé atrás, mas vale muito a pena dar uma chance à ela. Então com a ajuda do site Wikipédia, reuni algumas informações que considerei importante para falar um pouquinho da Carrie Underwood.

No seu registro de nascimento consta como Carrie Marie Underwood, nascida em Muskogee no Oklahoma em 10 de Março de 1983, no Muskogee Regional Medical Center.

Cresceu na fazenda de seus pais, em Checotah. É a terceira filha e a mais nova, de Stephen e Carole Underwood. Tem duas irmãs mais velhas, Shanna, nascida em 1970 e Stephanie, em 1973. Cantou no show de talentos do Robbins Memorial, na sua infância. Ela é um membro da igreja Free Will Baptist. Ainda pequena, cantava na igreja e no Lion's Club. Em seus 13 anos, em 1996, seu agente tentou um contrato para gravar um álbum na Capitol Records. No entanto, algumas coisas mudaram dentro da gravadora e o disco nunca foi realizado.

Depois de fazer o colegial, em 2001, ela foi para a universidade de Northeastern em Tahlequah, onde se formou em comunicação e jornalismo. Durante dois anos, no verão, fazia performances no show de Northeastern's Downtown Country. Ela também competiu com várias garotas na universidade e foi escolhida como Miss NSU em 2004.

No verão de 2004, foi a uma audição do American Idol, em St. Louis; passou e entrou na competição. Em 22 de março de 2005, cantou uma grande música, um hit dos anos 80, "Alone", de Heart e o jurado Simon Cowell previu que ela não apenas ganharia o programa, como passaria todos os vencedores do programa. Foi a segunda vencedora que nunca ficou entre os três menos votados.

Em 25 de maio de 2005, foi coroada a vencedora da quarta temporada do programa, ganhando de Bo Bice.

Na sexta temporada, foi para cantar o último single de seu CD Some Hearts, "Wasted". Essa foi a quarta vez que aparecia no programa depois de sua vitória. Também performou no evento Idol Gives Back, cantando "I'll Stand By You", no mesmo evento, Kelly Clarkson e Rascal Flatts fizeram performances. Underwood cantou a mesma música na final, dia 23 de maio de 2007.

Então desde sua participação no American Idol, Carrie é considerada uma cantora americana de música country, vencedora da quarta temporada do programa American Idol. É a cantora com mais cópias vendidas de um álbum de estreia na história do country. Em apenas 4 anos de carreira, já vendeu quase 18 milhões de álbuns no mundo e acumula vários prêmios, como 5 Grammy’s, 14 Billboard Music Awards, 10 Academy of Country Music (ACM) Awards, 6 People's Choice Awards, 5 Country Music Association (CMA) Awards, 5 American Music Awards, 6 Country Music Television (CMT) Awards, entre outros.

Seu álbum de estreia, Some Hearts, saiu em 2005 e vendeu cerca de 10 milhões no mundo, sendo sete vezes certificado com platina, e o mais rápido e mais vendido da história de Nielsen SoundScan. O álbum inclui três canções que alcançaram o topo da Billboard Country Songs nos Estados Unidos da América e no Canadá: "Jesus, Take the Wheel", "Wasted", "Before He Cheats" (seu maior hit até agora) e "Don't Forget To Remember Me" que esteve na primeira posição da Radio & Records. "Inside Your Heaven" foi o primeiro single a alcançar o topo da Billboard Hot 100. Conheci Carri através da canção Before He Cheats. Primeiro adorei o clip, aquela mistura de vingança e amor me conquistou; sou viciada em clips nesse estilo, onde mostra uma mulher forte, que independente da dor que esteja sentindo consegue seguir em frente. E a música Don't Forget To Remember Me, fez com que eu ficasse toda arrepiada ao ouvi-la; fiquei impressionanda como uma artista consegue dar tanta vida a uma canção. Inside Your Heaven, será a música mais especial da minha vida quando eu estiver apaixonada, quando o meu coração tiver dono.




O seu segundo álbum, Carnival Ride, lançado a 23 de Outubro de 2007, já vendeu mais de 3.5 milhões de cópias, só nos Estados Unidos. Foi ainda, o seu primeiro álbum a atingir o topo da Billboard 200. Desse álbum, saíram os hits "So Small", "All-American Girl", "Last Name", "Just A Dream" e o dueto com Randy Travis em "I Told You So"; todos chegaram a #1 na Hot Country Songs da Billboard. Esse foi o albúm mais romântico da Carrie. Just A Dream me levou as lágrimas quando vi o clip; So Small é a coisa mais fofa que já vi e ouvi na minha vida. Achei super engraçada a música Last Name... kkkk... e I Told You So é a canção mais triste desse cd, fiquei chocada, mas é muito linda.




Seu terceiro álbum de estúdio, Play On, lançado em novembro de 2009, já vendeu mais de 1,7 milhões de cópias e conseguiu a primeira posição na Billboard 200 e na Billboard Hot Country Albuns, emplacando também três músicas no topo das paradas Country, "Cowboy Casanova", "Temporary Home" e "Undo It". Ainda não tive muito tempo para ouvir esse cd não. Mas curto muito Temporary Home, Change e Look At Me, sendo essas minhas músicas preferidas. Para mim, essa capa foi a melhor de todas, ela está magnífica, com uma cara de garotinha, e bem romântica.




No dia 18 de Abril de 2010, aconteceu o 45º Academy Of Country Music Awards, a maior e mais importante premiação da música Country. Carrie estava indicada em 6 categorias, dentre elas, a mais importante da noite e do Country, o Entertainer Of The Year. Performou seu mais recente single, Temporary Home, sendo aplaudida de pé. Ganhou um prêmio especial, o Triple Crown Award (por já ter ganho os prêmios de Top New Female Vocalist Of The Year, Top Female Vocalist Of The Year e Entertainer Of The Year).

Além disso, levou o mais importante prêmio da noite, o Entertainer Of The Year, pela segunda vez consecutiva. Isso faz dela a primeira e única cantora na história do ACM e da música Country a levar o Entertainer Of The Year duas vezes. Ano passado, também levou o Entertainer Of The Year, tornando-se A Primeira Mulher a Levar o Troféu em 10 Anos. A última a receber esse prêmio, foi Shania Twain, em 1999.

Falando sobre a sua Vida Pessoal, em agosto de 2007, Carrie começou a namorar Chace Crawford, o astro da série de TV Gossip Girl. A revista People várias vezes publicou fotos dos dois andando pelas ruas. Porém, o namoro chegou ao fim no inverno de 2008.

Durante um de seus shows no final de 2008, Carrie conheceu o jogador canadense de hockey, Mike Fisher, com quem começou a namorar. Em dezembro de 2009, Carrie ficou noiva de Mike.

O Cara é um gato... eita mulher sortuda!!!

Coloquei minha música preferida para quem quiser curtir: Inside Your Heaven.



Gostaria que todos dessem uma chance a Carrie, ela é simplesmente diva. Meu desejo é que fique no meio musical por muito tempo, pois todos merecem essa voz linda.

XOXO,

Eu li: A Última Música

"Verônica Miller, ou melhor, Ronnie, teve sua vida virada de cabeça para baixo quando seus pais se divorciaram e seu pai se mudou de Nova Iorque para Wilmington Beach. Três anos depois, ela continua zangada e afastada dos pais, especialmente seu pai... Até que sua mãe decide que seria melhor para todo mundo se Ronnie e seu irmão, Jonah, passassem o verão em Wilmington Beach. O pai de Ronnie, pianista e ex-professor, vive uma vida tranquila na cidade de praia, imerso na criação de um vitral para a igreja local. Ronnie rejeita todas as tentativas de aproximação e ameaça voltar para Nova York. Até conhecer Will, o garoto mais popular da cidade. Ronnie começa a apaixonar-se por ele, o que vai lhe proporcionar uma felicidade - e dor - jamais sentida."



Título: A Última Música
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
N° de Págs: 400


Ler esse livro foi uma verdadeira montanha-russa de emoções; desde ódio, à amor, à remorço, à intensos laços de amizade, tudo junto e misturado, uma loucura só!


Começei a leitura achando a Ronnie um pouco chatinha pro meu gosto, toda aquela raiva contida nela, é definitivamente um saco. Mas dou meu braço a torcer porque ela tem uma personalidade forte, o que gostei muito.


Fiquei com muita vontade de cometer um assassinato, vontade grande de matar a Ronnie!! Arghhh!! Como alguém pode ser um anjinho em uns momentos e ser uma peste em outros? Não to entendendo!! Tá certo que um passado deixa marcas difícies de esquecer e às vezes até de superar, mas tratar uma pessoa mal por causa disso? Eu acho o cúmulo do absurdo!


Já o irmãozinho dela, o Jonah, ele é um fofinho... muito simpático e cheio de atitude. Como criança, acho que ele participou pouco do livro, mas em momentos muito importantes ele estava lá, dando sua grande contribuição para a história ficar melhor do que já estava. Demorei muito para "sentir" a personalidade do Will, o que ele realmente queria de verdade, quais eram seus objetivos e vontades. Demorou mas quando consegui, me encantei, ele é um homem que toda jovem se apaixonaria (bom, acho que todas né! pelo menos digo por mim).


Gostei tanto do livro, que tive uma sensação tão boa com ele. Senti falta das minhas aulas de piano/teclado, era algo que eu realmente adorava fazer, e não lembro bem porque parei... tenho que tirar meu teclado das teias de aranha. Quando começa a falar da intensa relação da Ronnie com seu pai, Steve, a gente começa a perceber que tem mais coisas embaixo dos panos do que agente pensava.


Ai gente!! (suspiros)... que livro fofo... amei cada página, cada capítulo. Por falar em capítulo, esse livro foi muito diferente do Querido John e do Um Momento Inesquecível, os quais eu já li. O Nicholas colocou cada capítulo como um personagem da história contando. Os personagens principais são a Ronnie, o Will, o Steve (pai da Ronnie).


Nicholas Sparks não deixa de me surpreender a cada dia, e sem falar nos litros de lágrimas que eu derramei né! acho que encheria um tonel para qualquer um que estivesse sofrendo da seca nordestina. Muito emocionante! Lindo demais. Infelizmente a vida é muito mais do que um simples jogo, mas alguns não entendem isso. Ronnie me conquistou e ver a coragem de Will me dá forças para seguir em frente. Lindo!"


Eu recomendo e muito. Um amor faz uma diferença na vida da pessoa... aiai (mais suspiros!)


P.S: Vou ficar devendo Meu Trecho Favorito porque meu livro está emprestado. Sorry!


XOXO,

Eu li: Fazendo Meu Filme 1 - A Estreia de Fani

sábado, agosto 28, 2010

"Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. “Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades."

Título: Fazendo Meu Filme 1 - A Estreia de Fani
Autora: Paula Pimenta
Editora: Gutenberg

Esse livro me ensinou uma grande lição: "Que eu tenho que parar de subestimar os escritores brasileiros!!" Primeiro eu comecei com a Thalita Rebouças, e agora a Paula Pimenta. Eu sou obrigada a dar a mão à palmatória porque o livro é o máximo e eu perdi tempo, podendo tê-lo lido à mais tempo.

O livro já me cativou no começo por que a Fani, ou a Estefânia (ah! não a chame assim porque ela não gosta hein! kkk) não é aquela garota bobinha, que faz você revirar os olhos de tão infantil que é, nada disso. Ela é uma jovem madura para a sua idade que está terminando o ensino médio, e que precisa decidir que rumo tomar na sua vida.

E encontramos muitos personagens divertidos. A super amiga da Fani - Gabi. O amigo das duas, o Leo. Tem a Natália que é louca pelo Mateus. Tem umas sebozinhas também (como sempre) para dar mais vida (e intriga) ao livro; e os pais maluquinhos da Fani e o seu irmão que se sente.

Essa jovem encantadora do livro, tem uma obsessão que também é minha: Filmes! Fiquei encantada com essa parte do livro; no começo somos apresentados aos seus 55 filmes prediletos e depois, na medidad que vamos fazendo a leitura, cada capítulo tem uma fala preferida do filme indicado e você entende porque aquele filme está naquele capítulo. Achei super demais essa ideia da autora, fiquei um livro dinâmico e muito alegre. Faz você dar altas risadas e também chorar ao mesmo tempo. Bom, sobre o choro, não sei se você, caro leitor, é como eu que não pode ver nada bonitinho e fofo que cai no choro. É sério, chorei mesmo quando o livro acabou, e não foi um chorinho sem graça não, vou um rolar de lágrimas intenso, e acho que o pior ainda é ter sido em lugar público; ônibus não é lugar para cair no choro, tenho que parar de levar meus livros para ler no ônibus, não é legal kkkkk.

As músicas não me tocaram tanto, mas acho que para quem curte nacional vai ser legal. Eu não curto muitas não. E o melhor de tudo, é que entendi o sentido do nome do livro. Estou louca para ler o segundo, que infelizmente ainda não comprei; mas na minha próxima ida na Saraiva, com certeza ele vai vir na minha sacola.

Meu Trecho Favorito: "Sempre achei que os melhores filmes são aqueles que terminam e deixam no ar os futuros acontecimentos, para que possamos inventar por nós mesmos uma continuação. Minha vida é assim. Não sei como serão meus próximos capítulos, mas posso imaginá-los e tentar vivê-los o mais fielmente possível ao roteiro que eu mesma vou criar."

Então é isso, minha gente! Não façam como eu, que tive que aprender uma lição. O livro é ótimo, leitura mais do que recomendada, é obrigatória!!

P.S: Minha próxima leitura nacional será Amores Incertos da Roberta Polito.

XOXO,

Eu vi: Casa Comigo?

domingo, agosto 15, 2010

"Uma mulher viaja para Dublin para pedir o namorado em casamento, no dia 29 de fevereiro de um ano bissexto, como manda a tradição irlandesa. Nesta data, segundo o costume local, o homem é obrigado a aceitar o pedido de casamento. Mas, quando o tempo mau arruína sua viagem, ela precisa da ajuda de um grosseiro dono de hospedaria para iniciar uma inesperada travessia no país e fazer o pedido perfeito."

Esse filme entrou para o roll dos meus filmes preferidos. Não só por que tem o gatíssimo do Matthew Goode, de Curtindo a Liberdade; mas também por ter um roteiro excelente e uma história muito tocante. Eu amo filme de menininha, já deu para perceber aqui né? Gosto muito muito quando os homens são durões e despois se tornam os mais românticos do mundo. E Matthew sempre soube interpretar isso muito bem, como em seus filmes anteriores.

Já a protagonista não me convenceu muito não. Amy Adams deixou muito a desejar, assim como deixou em Encantada. Dois roteiros excelentes mas onde a protagonista, ao meu ver, não atingiu o ponto. Quem gostou dos filmes, sorry! mas eu não curti muito ela não.

Ah! e odeiei essa cultura da irlanda da mulher ter um dia para pedir o homem em casamento, e pior ainda que ele tem que aceitar! Isso é uma desculpa esfarrapada para as mulheres desesperadas que não quem ficar encalhadas. Eu nunca faria isso! E acho que nenhuma mulher devia fazer isso, não só pelo ego ferido mas sim por príncipio, é papel do homem fazer isso. Nesse ponto sou totalmente feminina.

A história é perfeita, e muito fofa! Uma mulher riquinha, que não tem nenhuma noção de quem é e do que quer para sua vida, conhece um homem que tem planos para hoje e para sempre, só lhe falta dinheiro para solucionar seus prolbemas e companhia para compartilhar uma vida. Outra coisa que encanta é a fotografia do filme. Irlanda é perfeita para uma linda história de amor; alguém pode me explicar que castelo é aquele. Magnífico!! O Castelo Ballycarbery é sensacional. Confira algumas fotos.






Espero que gostem...

XOXO,

Eu li: Se Eu Ficar

quarta-feira, agosto 11, 2010

"Mia, uma violoncelista de 17 anos que vê, de repente, seu mundo virar do avesso. Num instante ela está sentada dentro do carro e no outro, em pé fora do seu corpo, ao lado dos pais mortos, vendo ela e o irmão serem atendidos pelos paramédicos. Já no hospital, com seu corpo em estado de coma, Mia reflete sobre seu passado e tenta decidir se vale a pena lutar pela vida."

Começei essa leitura meio com o pé atrás porque andei lendo muito sobre o livro e não conseguia uma descrição muito favorável das meninas dos blogs. Sempre "ouvia" que o livro deixava a desejar, que não era bom, e nem tão intenso; mas as primeiras páginas já foram suficientes para me deixar muito curiosa para ler o final.

Eu tenho uma mania muito doida de ir lá na última página e ler o final. Sei que isso não é legal, pois o final que é emocionante; mas nunca me senti tentada a abandonar as minhas leituras só por fazer isso. Muito pelo contrário, isso me incentiva a continuar e mais que depressa terminar logo.

Gostei de muitas coisas no livro: a própria Mia parecia ser um amor de pessoa, com sua timidez, e sua sensibilidade. Sua amizade com a Kim é linda, o que me lembrou a amizade eterna que quero ter com a Nailê(minha Best). O grande amor que sempre pela sua família, muito lindo ela falando sobre seu irmão Teddy. E a maneira como se sente ligada ao seu namorado Adam.

Quando percebi que a Mia começa a narrar sua vida estando num estado vegetativo, eu fiquei meio pé atrás com o livro, mas me lembrei da minha especialidade como Técnica em Enfermagem, que isso é totalmente possível por que Mia não teve morte cerebral; e não queria ler nada sobre algo além da vida, ou tipo assim. Achei a narrativa totalmente leve e de uma sensibilidade eterna. Se o livro tivesse mais páginas com certeza eu passaria horas lendo ele.

Uma das coisas que achei diferente no livro é que ele não tem capítulos, e sim marcações das horas que a Mia passa dentro do hospital, e como a sua vida passa em seus olhos como uma recordação do passado e de uma decisão que precisa tomar.  Outra coisa que também que atraiu no livro foi a relação da Mia com a música. No começo achei meio estranho ela ter escolhido logo o violoncelo como seu instrumento preferido; porém com o folhear das páginas gostei muito disso. O amor que ela tem pela música é tão intenso que me deu muita vontade de chorar; me sinto como ela, a música é um deleite que poucas pessoas tem a capacidade de sentir. Minha vida seria muito diferente e vazia sem uma voz que dê personalidade a melodia e sem os acordes dos instrumentos.

Seu relacionamento com o Adam é linda, apesar da crítica que li, achei fantástica como algo em comum pode aproximar as pessoas e torná-las importantes para sempre. Ele é fofo, carinhoso e muito preocupado com o relacionamento com ela. O que a blogueira em questão não entendeu é que as pessoas sentem de forma diferente, pois ela questionava que a protagonista não gostava do namorado da mesma forma que ele, que dava mais importância à amiga. Eu achei totalmente o contrário, Mia ama muito Kim e a história delas é muito interessante; mas o que Mia passa a sentir pelo Adam é completamente diferente e novo para ela.

E o final achei fantástico! Acho que a autora não poderia ter dado um final melhor para o livro do que esse. Mas não vou falar o final tá! Rsrs Corram para a livraria e adquiram o seu!!

Meu Trecho Favorito: "Havia coisas que somente eu podia fazer para ele. Quando era bebê, na fase dos choros noturnos, ele só se acalmava quando eu tocava uma cantiga de ninar para ele no meu violoncelo. Quando entrou na fase de gostar de Harry Potter, só eu tinha permissão de ler um capítulo para ele todas as noites. E quando ralava o joelho ou batia a cabeça, se eu desse um beijo mágico no machucado e, depois disso, ele tinha uma recuperação miraculosa. Eu sei que nem todos os beijos mágicos do mundo poderiam tê-lo salvo hoje. Mas eu faria qualquer coisa do mundo para poder dar um nele." (pag: 127)

Está recomendadíssimo!! E vou colocá-lo na lista para uma breve futura releitura pois vale muito a pena.

Eu li: Muito Mais Que Uma Princesa

terça-feira, agosto 10, 2010

"Filha ilegítima de um príncipe e de uma famosa cortesã, Lucia viveu confinada em escolas e conventos durante a maior da vida. Mas, essas experiências não a impediram de provocar um escândalo depois do outro. Exasperado, o príncipe Cesare de Bolgheri decide que a filha deveria se casar o quanto antes. Para arranjar o casamento, Sir Ian Moore, o mais respeitado diplomata britânico, é chamado às pressas. De volta à Inglaterra, ele promete a si mesmo que achará um marido para Lucia, mas logo vê que sua experiência de diplomata talvez não seja suficiente para quebrar a resistência da moça. Apesar de não faltarem candidatos, nenhum está à altura do espírito e da paixão de Lucia."


Comprei esse livro já faz um tempinho, mas não imaginava que ele realmente iria me cativar do começo ao fim. A sinopse em si já me levou a adquiri-lo, e fiquei muito contente de não ter jogado meu dinheiro fora (ele me custou R$45); porque a leitura valeu muito a pena.

Lucia começa o livro mostrando quem realmente ela é. Apesar de ser um romance histórico, a nossa jovem protagonista, não é perfeita, que tem bom comportamento, e que nunca fala algo que não esteja predisposta a falar. Muito pelo contrário, ela se mostra transparente para quem quiser ver e não sente vergonha disso; mas é isso que causa todos os seus problemas pois com o seu gênio indomável seu pai vê-se obrigado a dar um jeito no seu mal comportamento.

Como filha de um princípe, Lucia não pode ser tão insensata, e seu pai contrata o Nobre Sr. Ian Moore para lhe arranjar um marido que esteja propenso a aguentar suas vontades e prazeres. Sem contar que tem uma mãe que é uma cortesã, o que é totalmente inapropriado para a epoca.

Adorei a Lucia com todas as suas vontades, seus prazeres, sua intensa personalidade; é sempre muito interessante como eu me identifico com personagens femininos que são dependentes e fortes. O romance é intenso pois não seria diferente com uma protagonista nesse escalão. Já o protagonista masculino achei que deixou muito a desejar, pois apesar da Lucia desenvolver um forte desejo por Ian e ver nele o que gostaria em um prospectivo marido, eu não vi nem metade disso. Ele até pode ser bonito (o que conta quase que 80%), ter vigor, ter personalidade, mas se não tiver paixão não rola, e eu não notei paixão nele. Ian se esquivou muito dela quando poderia tê-la cativado logo de cara, e não chegou nem a dizer que gostava dela em momentos importantíssimos. Não sei o que a Laura (a escritora) quis transmitir com tudo isso, mas o livro não me decepcionou, eu sempre acho que falta alguma coisa para ser mais perfeito.

Meu trecho favorito: " - Quero um marido forte, bonito, viril que possa me amar com uma paixão igual a minha. - Ela afastou o cabelo do rosto com um gesto de cabeça, fumegando diante da recusa razoável daquele homem em lhe fazer concessões. - Esse homem nunca terá a necessidade de procurar cortesãs. Esse homem não vai dormir em nenhuma cama que não seja a minha. Esse homem será tratado por mim como um rei, e eu serei a luz que iluminará o seu dia. Esse homem vai me dar muitos filhos. Esse homem vai acordar nos meus braços todas as manhãs com um sorriso no rosto e vai estar apaixonado por mim todos os dias da sua vida, até ser enterrado. Não posso deixar que o senhor ou meu pai decidam quem será esse homem."  ( pag: 107)

Só uma coisinha me deixou um pouquinho chocada, depois do capítulo 18 o livro ficou um tanto quente. Não imaginei que seria assim, mas não me arrependi da leitura não, só deu uma apimentada à mais na leitura.
E no final de tudo, está mais do que recomendado. Tomara que vocês gostem.

P.S:  Galera, através desse espaço venho pedir mil desculpas formalmente pelo meu sumiço de quinze dias. Não quero que pensem que esse meu espaço aqui não é levado à sério, muito pelo contrário, para mim é muito mais do que sério, é um compromisso. Mas meu desaparecimento, se deu pelo fato de que meu PC teve um "infarto" e se encontra "hospitalizado". E o caso foi sério, mas acho que essa semana ele já estará em casa novamente. Enquanto isso, minha Best de Todas as Horas, Nailê (eu te amo Irmã/Amiga, e muito obrigada mesmo!!!), me emprestou o bebê dela para eu colocar esse meu mundinho em ordem. Eu estou muito atrasada com as minhas postagens, e tomara que dê para pôr tudo em ordem em breve. Beijinhos para todos que acompanham meu blog, e até breve.

XOXO.






Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!