Selo Brasileiro na XV Bienal do Livro




Quem aí está empolgada com a 15° Bienal do Livro no RJ que vai começar essa semana, levanta a mão? \o/
Eu estou super na vibe e muito animada com as muitas novidades que a feira vai ter. Uma delas é a presença do Selo Brasileiro.

Selo brasileiro é um projeto criado por um grupo de autores nacionais para divulgar literatura e cultura no país. A nossa ideia é viajar pelo Brasil incentivando a leitura e fazendo contato com os nossos leitores para que criemos uma relação de intimidade por quem é apaixonado por um bom livro.

Existe coisa melhor? Nãooooooo!
E nos dias 02 e 03 de Setembro vamos ter a oportunidade de prestigiar autores como:
  • Allan Pitz (A Morte do Cozinheiro),
  • Ana Paula Bergamasco (Apátrida),
  • Carolina Estrella (Garota Apaixonada em Apuros), 
  • Fabio Guolo (Draco Saga),
  • Liana Cupini (Estigmas da Luz e Antes Tarde Que Mais Tarde),
  • Marcio Sheibler (Cicatrizes de um Segredo e Irresistivelmente Fatal),
  • Marcos Bulzara (O Arquiteto do Esquecimento),
  • Larissa Siriani (Vermelho Sangue, Toda Garota Quer e Ardente Perigo e As Bruxas de Oxford),
  • Babi Dewet (Sábado à Noite),
  • Bia Carvalho (Jardim de Escuridão),
  • Luciane Rangel  (Guardians),
  • Mare Soares (Chantilly).
Esses autores estarão reunidos no Pavilhão Verde sob as orientações B06/C03.
Você vai??
Eu vou!!  Nos vemos lá! \o/

Entrevistando... Carol Sabar

Oie pessoas!
Pense no seguinte: uma série muito badalada de vampiros, uma jovem de 19 anos que é super fã do carinha lindão da série e que arranca suspiros mundiais, um outro gatinho que é sócia do primeiro.
Tudo isso você pode encontrar em "Como (quase) namorei Robert Pattinson".
Talvez você se pergunte "como assim?". É gente, é verdade. Se você nunca pensou em Robert Pattinson/Edward Cullen como seu boyfriend, atire a primeira pedra. rsrs
Junto com esse divertido enredo, que já promete ser um sucesso, temos um jovem autora nacional, que estreia em breve com o pé esquerdo!
Carol Sabar, a autora desse tão esperado lançamento pela Editora Jangada, concedeu ao Livro... Filme... Música uma linda entrevista. Vamos curtir? 

1) Acho que todo leitor gosta de conhecer mais quem deu vida ao livro. Então, quem é Carol Sabar e o que te inspira?

Olá, muito prazer. Eu sou Carol Sabar, tenho 27 anos, engenheira por formação, escritora por paixão.
O que me inspira? A vida me inspira. Eu adoro viver! Adoro conversar, viajar, ler, ouvir música, assistir a seriados, estar com minha família e amigos, observar as pessoas e o mundo ao meu redor. Tudo isso me inspira.


2) Como surgiu a ideia para o livro "Como (quase) namorei Robert Pattinson"? E quando decidiu que ele ia sair da sua cabeça para ser de "verdade"?

Foi no dia primeiro de abril de 2010, mas o que vou contar aqui não é mentira (rsrsrs). Eu estava parada no trânsito engarrafado, na volta do trabalho. De repente me veio à mente a imagem de Robert Pattinson passando óleo bronzeador nas pernas de uma fã. Achei muito engraçado, fiquei rindo sozinha. Cheguei em casa e comecei a escrever no mesmo segundo.
Muitas pessoas me perguntam se eu namorei o Robert Pattinson. Minha resposta?
É claro que não! Nem quase! (rsrsrs)
Já a Duda, minha personagem...


3) Seu livro parece ter uma veia bem engraçada. Fale um pouco sobre o livro.

“Como (quase) namorei Robert Pattinson” é a história da Duda, uma garota literalmente viciada na saga Crepúsculo, em Edward Cullen e Robert Pattinson. Ela mantém um perfil secreto na internet, “crepuscólica”, para desabafar e conversar com outras amantes da saga. Nenhum garoto parece perfeito para ela, já que, aparentemente, nenhum garoto chega aos pés de Edward Cullen. Duda prefere ficar em casa relendo os livros da saga a sair para festas com suas amigas, que vivem criticando seu comportamento e sua paixão platônica, o que, na opinião delas, é um verdadeiro desperdício de vida.
Sua obsessão ganha fôlego quando ela se muda para Nova York, para uma temporada de estudos. Na cidade que nunca dorme, começa a fazer planos mirabolantes para conhecer pessoalmente o ator Robert Pattinson (será que ela consegue?).
Para piorar a confusão crepuscólica em que se transformou a sua vida, Duda acaba conhecendo Miguel Defilippo, nada mais nada menos do que o sósia do ator de Hollywood.
Tem como não ser engraçado?
A história é cheia de aventuras e reviravoltas.
O livro mistura a narrativa convencional às postagens da Duda no Twitter e no Orkut e também à sua caixa de e-mails.



4) De onde surgiu a Duda? (você deu vida a ela de alguma amiga ou sobrinha que é louca por Twilight?)

A Duda não é baseada em uma única pessoa. Mas nas milhões de fãs da saga Crepúsculo, que vivem suspirando por Edward Cullen e sonhando com o dia em que encontrarão o vampiro encantado de suas vidas.


5) Pode matar nossa curiosidade e dar uma prévia de como é o Miguel Defilippo?

Miguel Defilippo é a cara do Robert Pattinson, a cópia perfeita. Quase perfeita, melhor dizendo. Já que tem olhos verdes muito verdes. E tatuagem no braço.
É apaixonante, educado, charmoso, rico.
Mas, como nem tudo são flores, Miguel é bastante misterioso... Por causa disso, vai deixar a vida e o coração da Duda de pernas para o ar.


6) Você é crepuscólica, como a Duda, sua personagem?

Eu amo a saga Crepúsculo. Li todos os livros (mais de uma vez). Assisti aos filmes.
Mas a Duda é bem mais crepuscólica do que eu. Sem mencionar que é a maior sortuda!


7) Como funciona sua composição literária? Você constrói seus personagens através das pessoas que conhece, pelo que observa?

Muitas histórias, principalmente as de humor, são construídas a partir do exagero, das situações inusitadas. Mas, dentro dessas situações, procuro inserir personagens verossímeis. Personagens que sentem, pensam, riem, choram, erram e se arrependem, como qualquer pessoa normal.


8) Na sua juventude (ou até mesmo agora) já teve alguma obsessão como a Duda? Seja por um ator, cantor, personagens de livros...

Sim, claro! Fui obcecada pelo príncipe William e pelo Leonardo DiCaprio, numa época de pouco acesso à internet. Eu folheava revistas em busca de fotos para minha coleção. Tenho muita coisa guardada até hoje.


9) Você sempre quis ser escritora?

Antes de começar a escrever "Como (quase) namorei Robert Pattinson", eu nunca tinha pensado concretamente em ser escritora, em publicar meus textos.
Em um país como o Brasil, onde o incentivo à leitura e à produção literária (à arte, de um modo geral) ainda está engatinhando, acho que ser escritor simplesmente acontece.
No meu caso, estudei música (piano e violão) por muitos anos e, devido a uma incompatibilidade de horários, fui obrigada a abandonar o conservatório quando comecei o curso de Engenharia de Produção na UFJF. Daí, mergulhei de cabeça nos cálculos. Por cinco anos, estudei, estudei, estudei. Depois me formei e comecei a trabalhar em período integral. Mas, na correria do dia a dia, sempre guardei essa angústia, essa necessidade de me expressar, como costumava fazer através da música. Há alguns anos, comecei a escrever para mim mesma, com certa frequência. Aos poucos fui descobrindo que inventar histórias é o que eu mais gosto de fazer na vida. Quero continuar escrevendo por muitos e muitos anos.



10) Quais são seus escritores e livros favoritos?

Sou uma leitora eclética e, por isso, minha lista de favoritos é bem grandinha!
Vou citar alguns livros e autores de literatura clássica e de entretenimento. Autores nacionais e estrangeiros. Livros para rir, chorar, se aventurar e se impressionar. Cada um a seu tempo e à sua maneira.
  • Dom Casmurro (Machado de Assis)
  • Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez)
  • O encontro marcado (Fernando Sabino)
  • A cidade do sol (Khaled Hosseini)
  • A última música (Nicholas Sparks)
  • Um dia (David Nicholls)
  • Harry Potter e as relíquias da morte (J.K. Rowling)
  • Eclipse (Stephenie Meyer)
  • Os Espiões (Luis Fernando Veríssimo)
  • A vida sexual da mulher feia (Claudia Tajes)
  • Tamanho 42 não é gorda (Meg Cabot)
  • As Listas de Casamento de Becky Bloom (Sophie Kinsella)
Meus poetas preferidos: Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, Cazuza e Renato Russo.


11) Como aconteceu de você e sua obra irem até a Grupo Editorial Pensamento (Editora Jangada)? Foi muito difícil e cansativo? Tentou outras "portas"?

Foi uma empatia quase instantânea. O Grupo Editorial Pensamento (Editora Jangada) se interessou pelo livro muito rapidamente. Não foi difícil, muito menos cansativo.


12) Você acredita que esse novo selo da Editora ajudará muitos autores que assim como você que estão começando agora?

Com o selo Jangada, o centenário Grupo Editorial Pensamento entra com força no mercado de ficção, principalmente jovem-adulto. A ideia é lançar 20 títulos por ano. E os primeiros títulos são incríveis. Os leitores vão adorar!


13) O que podemos esperar de "Como (quase) namorei Robert Pattinson"?

Muita diversão!
E não se preocupem. Quem não leu a saga Crepúsculo vai entender perfeitamente a história. Vai rir, torcer e se emocionar da mesma maneira. Porque a Duda, apesar de “crepuscólica”, vive suas próprias aventuras, seus próprios conflitos, num processo de amadurecimento e superação a cada dia.
Agora... quem leu a saga Crepúsculo e é fã do Edward Cullen/Robert Pattinson vai se identificar imediatamente e, em muitos momentos, desejar estar na pele da Duda.


Rapidinhas:

Literatura é... viajar sem sair de casa.
Seu 1° livro lido: O meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconcelos; meu primeiro livro sem ilustrações.
Quando escrevo... vivo muitas vidas.
Música Preferida: Something (The Beatles).
Filme Preferido: Diário de uma paixão.
Quero ler... Os pilares da Terra, de Ken Follett.
Meu maior sonho é... que os leitores de Como (quase) namorei Robert Pattinson cheguem ao fim da história com a sensação de que valeu a pena.
Me marcou: a notícia da publicação do meu livro.
Um personagem: Professor Snape (Harry Potter).
Indico: Um dia, de David Nicholls.


Use o espaço abaixo para deixar um mensagem aos seus futuros leitores, e para aqueles que já aguardam seu livro com muita expectativa.

A crepuscólica Duda Carraro está quase chegando!
Deixo aqui, um trechinho do livro:

"Ah, tudo bem. Eu confesso. O negócio é que estou apaixonada por Edward Cullen, o vampiro encantado da saga Crepúsculo, e por Robert Pattinson, o ator que o interpreta nos cinemas. Sei que é uma grande loucura, que o primeiro não existe e o segundo não sabe que eu existo. Mas, depois deles, nenhum homem parece suficientemente perfeito para mim. É isso aí. Pronto, falei"

Valeu, galera do Livro... Filme... Música!
A gente se vê! Continuem acompanhando as novidades pelo meu site: www.carolsabar.com.br e também no Twitter: @carolsabar
Beijinhos crepuscólicos,
Carol Sabar

Agradeço à Carol por ter se entregado de cabeça nessa entrevista. Eu adorei!
Não vejo a hora do livro ser publicado. Infelizmente vamos ter que esperar mais um pouquinho pois está em processo de finalização na Editora. Assim, que tiver mais notícias sobre a divulgação da capa, data de lançamento com certeza informarei aos leitores do blog!

Não deixem de conferir o estande do Grupo Editorial Pensamento na Bienal, que estará localizado no Pavilhão Azul sob as orientações K06 e K06B. Se você, caro leitor, estiver presente na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, poderá curtir bem de pertinho!
Com o Jangada, seu novo selo de ficção, o grupo estará lançando a obra "Nascida à meia-noite", e divulgando as demais, com lançamentos previstos para os próximos meses, como é o caso da obra da Carol Sabar, e "A Sociedade Secreta da Bola de Cristal Cor-de-Rosa, O Ouro de Mefisto", e a continuação de "Nascida à meia-noite" - Awake at Dawn.

Espero que tenha gostado da entrevista!

Eu li: Strange Angels

 
Título: Strange Angels - O Resgate
Autora: Lili St Crow
Editora: Novo Século
N° de Páginas: 288

Sinopse: Dru Anderson se acha estranha por mais tempo do que é capaz de se lembrar. Ela viaja de cidade em cidade com seu pai, caçando coisas que nos aterrorizam à noite. Era uma vida bem esquisita, mas boa – até que tudo explode em uma cidade gélida e arruinada de Dakota, quando um zumbi faminto arromba a porta da cozinha. Sozinha, aterrorizada e sem saída, Dru vai precisar de cada pedacinho de sua esperteza e treinamento para continuar viva. Seres sobrenaturais decidiram ser os caçadores – e desta vez, Dru é a presa. Chance de sobrevivência? De pouca a nenhuma. Se ela não durar até amanhecer, acabou a brincadeira…


Quando começei a leitura de Strange Angels não o considerei um livro muito promissor, por muitos motivos, mas depois de muitooooo tempo - tipo um mês - terminei! Uffa.

Fiquei muito chateada pela autora usar de coisas clichês logo no começo. Sempre a mesma coisa no sobrenatural né: a garota que é nova na escola, que vive se mudando com o pai, e blá blá blá... Dru Anderson é órfã de mãe, tem 16 anos e ajuda seu pai a caçar seres sobrenaturais. Quando seu pai some por uns dias, sua vida muda bastante.

Odiei as lamentações dela sobre a vida, sobre como o seu pai a vê como uma criança, e suas longas descrições da infância. Apesar de levar uma vida muito solitária pois não tem ninguém em sua vida; tudo isso foi me irritando. Eu adoro um monólogo de várias páginas - e como gosto! - , mas quando não tem nada de atrativo para contar é bem cansativo né? 

Mas em outros momentos a autora mudava o disco e tornava a personalidade da Dru bem legal. Mostrava ser uma garota durona que está armada e perigos, pronta para atirar primeiro e fazer perguntas depois. E isso foi bem legal!

Quote: "A maioria das garotas passam por uma fase "patinho feio", mas estou começando a achar que a minha fase vai durar a vida toda. Isso não me incomoda tanto. Melhor ser forte do que bonita e inutíl. Estou mais para uma garota simples e com a cabeça no lugar do que para uma bonitona"

Considerei a Dru em constante mudança, oscilando muito. Mas que garota de 16 anos estaria muito segura de si? No final de tudo, ela estava se descobrindo.
A mesma ladainha de que "tenho segredos que você não pode saber" continuou me cansando fortemente. E pensava que não seria melhor ela se trancar pro resto da vida?? Aff!
Mas foi aí que Lili St. Crow teve a genial ideia de criar Graves (salve-salve Graves!!! :O) - o gótico-oriental-lindinho - que aparece na vida dela, e as coisas mudam bastante... pra melhor!

Quote: "Eu estava sozinha. O fato de eu ter sido treinada para ser auto-suficiente não me consolava em nada"

Mais uma das características de Graves que eu gosto é que ele é sarcástico e também um pouco esquisito como a Dru! Ele é o carinha legal da estória (que a salvou, literalmente). Por isso que se deram tão bem... mas com ele a Dru se sente segura, como se sua vida estivesse nos eixos denovo.
Ele tem uma entrega pela Dru que é apaixonante. Não é nada tipo "tô te amando não", é tipo "se você pular, eu pulo, mas eu só quero saber onde estou me metendo". E ele estava realmente com ela, para o que viesse, independente se o Mundo Real dela não fizesse nenhum sentido pra ele. Isso foi muito legal! E nos piores momentos onde você acha que ele vai se encolher e sair de fininho, Graves conseguia ser ele mesmo.

Quote: - Você vai ter que fazer tudo o que eu disser.
Para a minha surpresa, ele me deu um sorriso.
- Mandona, você hein? Gosto de garotas mandonas.
Meu deus. Pelo menos alguém ali estava se sentindo melhor.
- Cale a boca. Você vai ter que fazer exatamente o que eu disse. Sacou?

Chegou a ter partes em que eu admirei a Dru profundamente, tanto pela sua inteligência e estratégias para fugir de monstros sinistros, como também pelo seu otimismo. A autora a transforma depois de alguns capítulos. Ela se vê tão dependente de Graves que tudo fica diferente - a narrativa, os pensamentos de Dru, o que ela pensa sobre Graves; e o leitor consegue ver que enfim Dru tem um coração e sentimentos valorosos, e não é capaz de abandonar Graves em momentos difícieis.

Já o Christopher vem para clarear o mundo em que a Dru vive - como seu anjo da guarda. Ele é "o cara", bem decidido e mandão, que tem cheiro de torta de maça (hã?!). Alguns momentos o considerei um idiota com fortes bíceps que não acrescentou em nada. Mas ele tem um papel vital no livro, e gostei muito do final.

A autora tem umas sacadas muito boa que te fazem refletir, como o porquê dos zumbis não falarem. Ela diz que "eles são como vacas sofrendo que emitem um gemido bizarro, forçam apenas o ar através das cordas vocais que foram paralisadas pela morte".  Depois de muita babozeira e encheção de linguiça consegui encontrar algum nexo nas palavras de Lili St. Crow.
Mas tem coisas muito bizarras também. De onde que ela tirou a ideia de que "um corte profundo na cabeça forma casquinha em 53 minutos?" Só se a pessoa tive uma ótima coagulação né, e uma cicatrização ultra-sônica!
E de onde que ela tirou que um ferimento de mordida de lobisomen quando está sarando fica em "um tom de rosa quente, em vez de vermelho-sangue ou amarelo casquinha"? A mulher é surtada!!

A edição em português precisa urgentemente de uma revisão. Contém muitos erros ortográficos, e sentenças sem sentido. Nesse momento quis muito ter o livro original nas mãos para tirar minhas próprias conclusões.

Talvez não leia a continuação, mas deixo a dica aqui para quem quer um sobrenatural bem diferente. Porque Dru não é a super heroína, ela é só uma garota "normal" que tem uma descendência a zelar!

E no final das contas eu até recomendo (mas só por causa do Graves! rsrsrs).

P.S: Agradeço à Luana pela paciência com a minha lerda leitura, pois o livro faz parte do Book Tour do Partes de um Diário. Thanks Darlin!
Agradeço também à Thais Priscilla pelo incentivo. Juro que se não fosse por ela eu teria devolvido o livro sem ler. Thanks! :)

Namore um cara que lê!

Oie gente!!!
Depois do texto falando sobre meninas que leem, nada melhor do que meninos né??
O texto de hoje foi um achado no google. Tive o prazer de encontrá-lo no blog Acepipes Escritos.
É uma adaptação do texto "Namore uma garota que lê", escrito pela Rosemary Urquico.
Espero que gostem, pois eu gostei e é tudo verdade!!



Namore um cara que se orgulha da biblioteca que tem, ao invés do carro, das roupas ou do penteado. Ele também  tem  essas coisas, mas sabe que não é isso que vai torná-lo interessante aos seus olhos. Namore um  cara que tenha uma pilha de três ou quatro livros na cabeceira e que lembre do nome da professora que o ensinou as primeiras letras.

Encontre um  cara que lê. Não é difícil descobrir: ele é aquele que tem a fala mansa e os olhos inquietos. Ele é aquele que pede, toda vez que vocês saem  para passear, para entrar rapidinho na livraria, só para olhar um pouco. Sabe aquele que às vezes fica calado porque sabe que as palavras são importantes demais para serem  desperdiçadas? Esse é o que lê.

Ele é o cara que não tem medo de se sentar sozinho num  café, num  bar, num  restaurante. Mas, se você olhar bem, ele não está sozinho: tem  sempre um  livro por perto, nem  que seja só no pensamento. O rosto pode ser sério, mas ele não morde, não. Sente-se na mesa ao lado, estique o olho para enxergar a capa, sorria de leve. É bem  fácil saber sobre o quê conversar.

Diga algo sobre o Nobel do Vargas Llosa. Fale sobre sobre as novas traduções que andam  saindo por aí. Cuidado: certos best-sellers são assunto proibido. Peça uma dica. Pergunte o que ele está lendo – e tenha paciência para escutar, a resposta nunca é assim  tão fácil.


Namore um  cara que lê, ele vai entender um  pouco melhor seu universo, porque já leu Simone, Clarice e –talvez não admita– sabe de memória uns trechos de Jane Austen. Seja você mesma, você mesmíssima, porque ele sabe que são as complicações, os poréns que fazem  uma grande heroína. Um  cara que lê enxerga em  você todas as personagens de todos os romances.
Um  cara que lê não tem  pressa, sabe que as pessoas aprendem  com  os anos, que qualquer um  dos grandes tem  parágrafos ruins, que o Saramago começou já velho, que o Calvino melhorou a cada romance, que o Borges pode soar sem  sentido e que os russos precisam  de paciência.

Um  namorado que lê gosta de muita coisa, mas, na dúvida, é fácil presenteá-lo: livro no aniversário, livro no Natal, livro na Páscoa. E livro no Dia das Crianças, por que não? Um  cara que lê nunca abandonará uma pontinha de vontade de ser Mogli, o menino lobo.

E você também  ganhará um  ou outro livro de presente. No seu aniversário ou no Dia dos Namorados ou numa terça-feira qualquer. E já fique sabendo que o mais importante não é bem  o livro, mas o que ele quis dizer quando escolheu justo esse. Um  cara que lê não dá um  livro por acaso. E escreve dedicatórias, sempre. Entenda que ele precisa de um  tempo sozinho, mas não é porque quer fugir de você. Invariavelmente, ele vai voltar –com o coração aquecido– para o seu lado.

 Demonstre seu amor em  palavras, palavras escritas, falas pausadas, discursos inflamados. Ou em  silêncios cheios de significados; nem  todo silêncio é vazio.

 Ele vai se dedicar a transformar sua vida numa história. Deixará post-its com  trechos de Tagore no espelho, mandará parágrafos de Saint-Exupéry por SMS. Você poderá, se chegar de mansinho, ouví-lo lendo Neruda baixinho no quarto ao lado. Quem  sabe ele recite alguma coisa, meio envergonhado, nos dias especiais. Um  cara que lê vai contar aos seus filhos a História Sem  Fim  e esconder a mão na manga do pijama para imitar o Capitão Gancho.


Namore um  cara que lê porque você merece. Merece um cara que coloque na sua vida aquela beleza singela dos grandes poemas. Se quiser uma companhia superficial, uma coisinha só para quebrar o galho por enquanto, então talvez ele não seja o melhor. Mas se quiser aquela parte do "e eles viveram felizes para sempre", namore um cara que lê.

Ou, melhor ainda, namore um cara que escreve.

Namore uma garota que leia!

Vi esse texto na semana passada no blog Leitura Nossa de Cada Dia e amei!
Fiquei muito encantada! O texto é uma graça, e mostra como a leitura pode mudar a vida de uma pessoa. Bom, mudou a minha e espero que mude a vida de muitas pessoas.
A leitura melhorou minha vida, e não ligo nem um pouco quando alguém diz "Porque você lê tantos livros?" Eu leio porque gosto e é divertido!
Então aprecie mais essa leitura, e reflita, de repente você também esteja precisando de livros na sua vida.


Texto original: Date a girl who reads, Rosemary Urquico
Tradução e adaptação: Gabriela Ventura

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.
Compre para ela outra xícara de café.


XOXO, da Lisse

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton, Pound, Cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.


Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.


Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.

Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.

Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.
Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia.

Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.


Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho.

Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.
Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.

Meme: Top 10 Casais da Ficção

Regras:


  • Linkar quem te passou: Evellyn
  • Colocar a imagem abaixo
  • Fazer uma lista de seus 10 casais preferidos da ficção (tanto de livros, séries, animes, etc…)
  • Passar para 5 blogs: Beli, Jess, Nii, Candy e Dri.


Esse foi o primeiro casal de ficção que entrou na minha vida. Foi com a Ann Brashares que começou toda minha obsessão por livros. E foi com Kostos & Lena que eu passei a admirar os casais e marcar trechos fofos nos livros.
O fato deles se conhecerem de uma forma muito inesperada (e não é como o filme mostra!) foi muito legal, e como a Lena é toda "santinha" foi muito engraçado. Eles são muito gracinhas para um casal super apaixonado, e é lindo vê-la se apaixonar pela primeira vez.


2) Edward & Bella (Saga Crepúsculo)

Talvez você ache super clichê colocar Ed & Bella aqui; tudo bem, eu entendo. Mas quando eu li Twilight para mim significou "A Eternidade", e foi forte... ainda é forte. Não liguei nem um pouco pelo fato do Edward ser descrito como um cara lindo-de-morrer, mas o amor deles era mais importante. O significado de viver eternamente ao lado de quem se ama é lindo!


3) Ian & Lucia (Muito Mais Que Uma Princesa)

Esse foi o casal mais oposto e mais completos que já li na minha vida. Foi com eles que aprendi e vi a importância de ceder mesmo quando não é aquilo que você quer, e como toda mulher tem que ser forte e agradar a si mesma.  


Aquele casalzinho adolescente fofo que todo mundo quer. A paixão que cresce e nos torna grande. Leo & Fani foi um pouco disso com muito de crescer e transpor as barreiras da saudade e do ciúme. Apesar de ainda não ter acabado a série, aguardo ansiosamente por um final muito feliz para esses dois.


5) Sofia & Ian (Perdida)

O encontro do verdadeiro amor é uma coisa muito importante, né? Sofia teve que viajar no tempo para aprender isso, e é lindo como tudo acontece. Ian é o cavalheiro da armadura brilhante sem ser nada clichê e chato; é envolvente e charmoso. Não tem como não amar esses dois!


6) Annabel & Owen (Just Listen)

Esse casal é um pouquinho diferente daquilo que você talvez esteja acostumada. Nesse livro não tem pegação e beijação, e acho que foi o que mais gostei. Porque é um relacionamento tão cabeça e tão intenso ao mesmo tempo que é apaixonante. Annabel & Owen vem de momentos difíceis, e a amizade colorida que rola entre eles durante a leitura é o que torna tudo tão legal e mágico. Eu recomendo!


7) Hellen & Andrew (Outono de Sonhos)

Falando em casais fofos não podia deixar eles de fora né! Um dos livros mais emocionantes que li esse ano e que nem preciso comentar que chorei muito. Apesar do livro fazer parte de uma série, quero inclui-lo aqui como um livro separado tá, pois foi o único que li. Os sentimentos puros contidos aqui são tão profundos que calam fundo. Foi um dos poucos livros que conseguiram transmitir aquilo que penso da vida e quero um dia para mim. Não canso de dizer: "Obrigada Dri!". Recomendadíssimo!


8) Rachel & Dexter (O Noivo da minha melhor amiga)

O primeiro chick-lit agente nunca esquece! Apesar de odiar a ideia da traição entre amigas que o livro trata pois não aceito esse fato, o livro é lindo demais. Ver a Rachel confusa, e em dúvidas se coloca seus sentimentos à frente da amizade que tem, foi prazeroso. Rachel e Dexter foram feitos um para o outro,  e isso é tão ruim que quando estão separados tudo é confuso e diferente!  

9) Heathcliff & Catherine (O Morro dos Ventos Uivantes)
Eu sempre tenho uma sensação de amor e ódio por alguns livros, e esse é um deles. Talvez seja os personagens que são muito temperamentais... o mesmo tempo que amam, conseguem odiar. E Heathcliff é assim! Mas o fato dele às vezes odiar Catherine não é ruim, é simplesmente porque a ama muito, e em outros momentos não senti que ela o amava tanto assim, mas isso não tira a beleza do livro. É surpreendente!

10) Alex & Nick (Desculpa se te chamo de amor)

Não me canso de dizer que esse é um dos meu livros favoritos. Alex & Nick são perfeitos um pro outro, e não diferença de idade certa nessa história. Mostra o mundo de duas pessoas em transformação, e como às vezes não somos capazes de perceber quando tudo vai mudar - e pra melhor! Juntos, Alex & Nick aprendem o verdadeiro significado de ser feliz e amar profundamente uma pessoa. Recomendo sempre! 

E você, caro leitor, qual é seu casal preferido??

Eu li: Desculpa Se Te Chamo de Amor



Título: Desculpa Se Te Chamo de Amro
Autor: Federico Moccia
Editora: Planeta
N° de Páginas: 424
Ano: 2009

"Niki é uma bela garota, é divertida, é inteligente. Tem 17 anos. Alex é um "garoto" de quase 37. Separou-se há pouco, e sem uma razão clara, de sua noiva. Publicitário com grandes responsabilidades vê-se em crise no trabalho. Os dois se cruzam casualmente num pequeno acidente de trânsito. Niki gosta de Alex, Alex acha Niki divertida. A relação fica cada vez mais intensa. Não querem deixar a diferença de idade atrapalhar... O mundo dos adolescentes se choca com o dos adultos. Mas a vida dos dois nunca mais será a mesma. Este romance é a vontade de reencontrar a própria liberdade, a vontade de ter sentimentos verdadeiros, de amar sem convenções e sem muitos porquês. É o cotidiano, mas também o sonho."

"Amizade, comprometimento, amor, ciúme, loucuras, traição, intimidade, amadurecimento, companheirismo, cumplicidade e desespero.

Todas essas qualidades e defeitos são ingredientes que Federico Moccia é capaz de lhe proporcionar em Desculpa Se Te Chamo De Amor; e não foi à toa que ese livro se tornou mais que especial para mim, além de ter sido a melhor leitura de 2010.

Niki e suas amigas (Olly, Erica e Diletta) que se denominam as Ondas, estão no último ano do colégio. E vivem aprontando a cada dia.

Amigo é a melhor coisa que existe, e a história dessas meninas vai te cativar! São tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo. Isso acontece? O tempo todo.

Niki é uma bela garota. Divertida, inteligente e alegre, que poderia ser confundida com você, cara leitora. Você tem 17 anos? Está para terminar o Ensino Médio? É espivetada e fala o que lhe vem à cabeça? Pois Niki é tudo isso e mais um pouquinho.

Some 17 mais 20 e assim chegamos a Alex - ou melhor Alessandro - que tem 37 anos. Um criativo, ou seja, um publicitário por profissão, apesar de ser bem sucedido parece estar passando pela pior fase da sua vida quando se vê abandonado pela mulher que acabou de pedir em casamento.

Alex e Niki. Dois mundos em contradição, que se chocam violentamente. É quando tudo muda. A vida é estranha, né? Em um momento você está infeliz e não sabe quando sua vida vai começar de verdade. Alex não sabia. Alex não vivia, até que seu Mercedes atropelou uma motoca. Ao ver seu mundo invadido por uma adolescente impulsiva, questionadora, que não mede suas consequências, além de exigir todo seu tempo e espaço, esse homem "maduro" é obrigado a refletir no verdadeiro significado de ser feliz e de amar profundamente uma pessoa.

Moccia tem uma maneira única e contida. Palavras certas e na hora certa. Dono de uma genealidade que torna esse livro imperdível. Apesar de já ter lido e ouvido muitas coisas ruins à respeito do seu modo de escrever, eu achei divino.  Só ele é capaz de escrever uma palavra ou duas e colocar um ponto final, logo depois iniciar uma nova sentença sem deixar o leitor cansado ou perdido. Talvez você estranhe no começo mas nem perceberá depois de algumas páginas.

A história de Niki e Alex e das Ondas não são exclusivas. Tem outros fragmentos de vida que estão intercalados nos capítulos; e fazem com que Desculpa Se Te Chamo De Amor também se torne especial por causa disso.

O fato do livro ter dado vida a um filme italiano chamado "Lição de Amor" foi maravilhoso, pois você vai poder ver com seus próprios olhos tudo o que Moccia descreveu pois foi o próprio que o dirigiu. E se você lê-lo e gostar não esqueça que tem uma sequência, já traduzida pela Editora Planeta chamada Desculpa Quero Me Casar Contigo.

Quote: "Mãos se entrelaçam, olhos que se buscam, encontram espaços e novos panoramas. Aquela vez. Momento único. Que não gostaria que terminasse... É perceber que talvez amar seja outra coisa. É sentir-se leve e livre. É saber que o coração dos outros não lhe é devido, não lhe pertence, não lhe cabe por contrato. A cada dia você deve merecê-lo. É dizê-lo. Dizer a ele.  E compreender pelas respostas que talvez seja necessário mudar.  É necessário ir embora para reecontrar o caminho... mas quando alguém que você deseja se vai, você tenta mantê-lo com as mãos e espera assim prender seu coração. E não é assim. O coração tem pernas que você não vê.  E vai embora dizendo você vai me pagar. mas o amor não é uma dívida a ser liquidada, não dá créditos, não aceita descontos." (página 40)

Grupo Pensamento lança novo selo: Jangada



Após longos 104 anos lançando livros para um mundo em transformação, o Grupo Editorial Pensamento, chega com um novo selo para ampliar os horizontes da leitura.
Esse novo selo tem como objetivo alcançar novos espaços e ampliar o público leitor. O nome do novo selo é Jangada, como vocês bem podem ver na imagem acima.

O diretor-presidente, Ricardo Riedel, diz que a nova linha editorial amplia temas oferecidos aos leitores, com os da área de ficção fantástica e histórica. “Apesar de já termos publicado em nossos selos atuais algumas obras de ficção, decidimos criar uma linha editorial específica para a área, reforçando ainda mais a presença do grupo no mercado”, afirma Ricardo Riedel.

O nome Jangada veio através de algo em comum entre os integrantes da família Riedel: a paixão por barcos. O Logotipo foi inspirado em uma das obras de arte do famoso pintor Carybé, que teve inclusive alguns de seus álbuns publicados pelo grupo editorial. Além disso, o artista plástico foi amigo pessoal do Sr. Diaulas Riedel, pai de Ricardo e diretor-presidente do grupo até 1997.

A primeira aposta da Editora Jangada será Nascida à Meia- Noite, o primeiro livro da nova série de ficção fantástica: a Saga Acampamento Shadow Falls, já um sucesso nos Estados Unidos. A obra marca a entrada oficial da editora no Brasil, em setembro. A novidade também será apresentada na XV Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece entre os dias 1 e 11 de setembro.

A obra retrata a história de uma garota enviada a um acampamento para adolescentes com poderes sobrenaturais. Um novo e excitante mundo paranormal, a imagem de uma heroína e um triângulo amoroso são os elementos que marcam essa série de alto nível.

Born at Midnight, título original do primeiro livro da saga, foi lançado em maio, nos Estados Unidos, com tiragem inicial de 50 mil exemplares, e em apenas três meses vendeu 45 mil cópias. Amplamente aceita pela crítica e pelo público, a obra já foi vendida para seis países e é uma das maiores apostas da St. Martin Press. O lançamento do segundo livro no Brasil, Awake at Dawn, está previsto para maio de 2012.

Os livros que o Grupo Editorial Pensamento irá lançar nos próximos meses são:
  • Como (quase) Namorei Robert Pattinson:  com esse eu surtei gente, e ainda por cima é de uma autora nacional Carol Sabar. Imagina?? Deve ser tudo de bom!
Aos 19 anos, Duda é literalmente viciada na saga Crepúsculo. Já perdeu a conta de quantas vezes leu os livros da série e assistiu aos filmes. Através de um perfil secreto na internet, ela se comunica com outras fãs do Crepúsculo que, assim como ela, estão totalmente convencidas de que não há garoto no mundo que valha um dente canino do vampiro Edward Cullen.

Sua obsessão ganha fôlego com uma temporada de estudos em Nova York, onde ela faz planos mirabolantes para conhecer pessoalmente Robert Pattinson, o ator que interpreta o vampiro nos cinemas. Mas, após um incidente com seus únicos (e insubstituíveis!) livros da saga, Duda entra em verdadeiro surto de desespero. Percebe, então, que uma mudança radical em seu comportamento “crepuscólico” é mais do que urgente.
O que ela não esperava era conhecer Miguel Defilippo, seu vizinho na ilha de Manhattan que é, nada mais nada menos, do que a cara do ator Robert Pattinson! Apaixonante, lindo, rico, misterioso e ambíguo, Miguel acaba se tornando um desejo mais inacessível para Duda do que o próprio astro de Hollywood.
Uma história cheia de humor, aventuras e reviravoltas, para você chorar de rir!

Trecho do Livro:

"Quando abro os olhos, ali estou eu, deitada de bruços na areia da praia.
E Robert Pattinson está passando óleo bronzeador nas minhas pernas.
(...) Partindo do princípio de que não estou ficando louca, então...
Já sei! Eu morri! E papai e mamãe (...) devem estar se debulhando em lágrimas, debruçados sobre meu caixão vermelho, branco e preto (as cores da saga Crepúsculo) enquanto recordam, aos soluços, os momentos felizes de nossa vida juntos.
Na lápide: Aqui jaz a Crepuscólica.
Se bem que papai e mamãe nada sabem a respeito de minha segunda identidade. Não sabem que Crepuscólica e Eduarda Carraro são a mesma pessoa. Ninguém sabe, para falar a verdade.
Viva! Eu morri! E Robert Pattinson também! E estamos juntos num paraíso ensolarado, tomando caipirosca geladinha de limão! E ele está passando óleo bronzeador em mim!
Mas de repente sinto-me murchar como um balão. Não que eu não mereça estar no paraíso. Porque eu mereço, com toda certeza. É só que eu saberia se Robert Pattinson estivesse morto. O mundo inteiro saberia. De modo que só existe um jeito de resolver esse mistério: encarar o que quer que seja essa alucinação".


  • A Sociedade Secreta da Bola de Cristal Cor-de-Rosa.
Na companhia das duas melhores amigas, Erin vive feliz. Quer dizer, não completamente, porque acha sua vida totalmente sem graça. Para que fique mais interessante, ela faria qualquer coisa para ganhar um concurso cujo prêmio é uma viagem à Itália. Mas para isso precisa escrever uma dissertação explicando por que ela deveria ser escolhida... Mas escrever o quê? Se nada nunca acontece em sua vida...
Bem, quase nada. Quando sua tia favorita morre, Erin recebe de herança uma misteriosa bola de cristal cor-de-rosa. Quando viva, tia Kiki (também conhecida como titia Eskikisita) sempre viveu fora dos padrões convencionais.
Mas agora Erin e suas duas melhores amigas estão convencidas de que a bola de cristal cor-de-rosa é a chave do futuro das três – ou pelo menos a chave para arranjarem um namorado e viverem incríveis aventuras.
E o que garotas adolescentes poderiam desejar? Peitos maiores? Um encontro romântico? Livrar-se das colegas de escola que as atormentam? No início elas encaram tudo como uma grande brincadeira e não levam a sério os pedidos mirabolantes que fazem à bola... Até que as coisas que queriam começam realmente a acontecer. Será magia ou apenas coincidência?
Em meio a tudo isso, elas começam a sofrer bullying, ameaças e as coisas começam a ficar sérias e fora de controle.
A magia também tem sua lógica e suas explicações, e talvez essa seja a principal questão. Coisas divertidas podem acontecer quando você se envolve com magia, principalmente quando elas não saem da forma como você esperava...


  • O Ouro de Mefisto
Abril de 1945. Entre os escombros de uma Berlim arrasada, no bunker da Chancelaria, Hitler, rodeado de seus incondicionais companheiros, enfrenta suas últimas horas.

Contudo, o fim da guerra na Europa e o princípio da nova ordem impostos pelos Aliados não conseguem destrinchar algumas inquietantes incógnitas: que papel desempenhou o Vaticano na fuga dos criminosos de guerra? Hitler e Eva Braum se suicidaram mesmo no bunker? Os banqueiros suíços realmente guardaram o ouro dos nazistas que estava no Banco do Reich, produto de suas pilhagens criminosas? O que havia nas enigmáticas caixas enterradas nas águas escuras e frias do lago Toplitz? Existiu realmente a temida Organização ODESSA e sua determinação futura em criar o Quarto Reich? Quem se escondia por de trás do codinome “O Predestinado”?
O autor concentra a trama em seus personagens principais, o ambicioso seminarista August Lienart e a misteriosa guerrilheira Elisabetta Darazzo, e em sua missão: impedir o futuro surgimento do Quarto Reich.
Um thriller histórico, do mesmo nível do clássico O Dossiê ODESSA do aclamado Frederick Forsyth, com uma trama fantástica e vertiginosa que tem tudo para superar essa obra-prima da literatura de suspense.

  • Nascida à Meia-Noite (1° livro da Saga Acampamento Shadow Falls)
Kylie Galen está na pior. Seus pais vão se divorciar, seu namorado acaba de romper com ela e uma noite, depois de ser presa por estar na festa errada, com as pessoas erradas e na hora errada, é enviada pela mãe para Shadow Falls – um acampamento para adolescentes problemáticos, localizado numa cidade chamada Fallen, no meio de uma misteriosa floresta. Isso muda sua vida para sempre. Poucas horas depois de chegar, ela descobre, assustada, que seus colegas não são apenas “problemáticos”. Kylie nunca se sentiu normal, mas também não se considera como uma daquelas aberrações paranormais. Ou será que ela é? Em Shadow Falls, vampiros, lobisomens, metamorfos, bruxas e fadas aprendem juntos a desenvolver seus poderes, controlar sua magia e viver no mundo normal.
No entanto, as coisas tomam um rumo diferente quando dois carinhas interessantes entram em cena. Derek, um fae que possui poderes mágicos, quer a todo custo ser seu namorado e Lucas, um lobisomem com quem ela partilha um passado secreto. De início, tudo o que Kylie deseja é sair de Shadow Falls e voltar para casa. Porém, com Derek e Lucas ocupando um lugar cativo em seu coração e depois de descobrir que ela própria tem estranhos poderes, talvez sua vida nunca mais volte a ser a mesma...



  • Awake at Dawn (2° livro da Saga Acampamento Shadow Falls)   P.S: Já em processo de tradução! \o/
Agora que Kylie se estabeleceu no Acampamento Shadow Falls, está determinada a descobrir a extensão dos seus dons sobrenaturais. Um fantasma que não para de perturbá-la, insistindo em dizer que alguém que ela ama vai morrer; um vampiro desonesto metido num assassinato; seu sexto sentido dizendo que alguém a está espionando e a sua incessante busca por respostas a deixam o tempo todo em estado de alerta.
Para piorar a situação, justamente quando ela está prestes a entregar seu coração a Derek – um atraente fae que possui a habilidade de ler os sentimentos das pessoas e se comunicar com animais e espíritos da natureza –, Kylie reencontra Lucas, um lobisomem que ela conheceu ainda garotinha e que voltou a Shadow Falls, deixando-a ainda mais confusa com relação a si mesma e seus sentimentos.
O fim de semana com a mãe deveria ser um momento de descontração para Kylie mas acaba provocando uma ruptura. Alguém do lado escuro do mundo sobrenatural tem planos para Kylie e vai utilizar todos os recursos diponíveis para trazê-la de volta a Shadow Falls.
O final inesperado deixará o leitor eletrizado e na expectativa do último livro da saga Acampamento Shadow Falls.


  • Tempest -  P.S: Já em processo de tradução! \o/
O ano é 2009. Com 19 anos de idade, Jackson Meyer é um cara normal... ele está na faculdade, tem uma namorada... e pode viajar através do tempo. Mas não é como nos filmes – ele não muda nada no presente, após seus saltos, não cria problemas no espaço-tempo nem tem que consertar capacitores de fluxo que funcionam mal, no estilo do filme De Volta Para o Futuro. Para ele, a viagem no tempo é apenas uma diversão inofensiva.
Até que um dia estranhos invadem sua casa, e sua namorada, Holly, é morta a tiros, durante uma luta. Em pânico, Jackson consegue dar um salto no tempo, voltando dois anos e indo parar em 2007. Mas esse salto não é como os anteriores. Agora ele está preso em 2007 e não pode voltar ao futuro!
Desesperado, à procura de uma forma de voltar a 2009 e salvar Holly, Jackson não vê outra saída a não ser se estabelecer em 2007 e aprender o máximo que puder sobre suas habilidades.
Não demora muito até que as pessoas que atiraram em Holly em 2009 saiam no encalço de Jackson, no passado. Nada vai deter esses agentes da "Enemies of Time" na tentativa de recrutar esse poderoso viajante do tempo – ou matá-lo.
Juntar as pistas sobre seu pai, sobre o grupo “Enemies of Time” e ele mesmo. Essa é a missão de Jackson, e ele tem que decidir até que ponto está disposto a ir para salvar Holly ... e possivelmente o mundo inteiro.
Qualquer semelhança com o filme Jamper é mera coincidência. A Summit Entertainment, produtora da Saga Crepúsculo, comprou os direitos de filmagens de Tempest e promete fazer dessa história uma revolução em termos de aventuras com a temática da viagem no tempo. Simplesmente imperdível!


A Editora Jangada prevê lançar por volta de vinte novos títulos por ano.

Há 104 anos no mercado, o grupo editorial dá mais um passo com este novo selo. Tudo começou em 26 de junho de 1907, com a criação da Editora Pensamento, para publicar livros principalmente sobre temas ligados ao esoterismo, à espiritualidade e à autoajuda. Em 1956, foi fundada a Editora Cultrix, com livros sobre filosofia, literatura, sociologia, psicologia e linguística. Por último, em 2009, foi adquirida a Editora Seoman, que publica livros nas áreas de biografias, moda e cultura pop.

Agora, a Editora Jangada, voltada para o público em geral, mas principalmente jovem-adulto, oferece um amplo leque de títulos de qualidade. De acordo com Ricardo Riedel, a editora chega para reforçar ainda mais a presença do Grupo Editorial Pensamento no mercado editorial brasileiro. “O nosso objetivo é ampliar os horizontes da leitura”, finaliza Ricardo Riedel, com a frase que impulsionou a criação do novo selo.




Quero todos os lançamentos! Viu gente, não é à toa que estou dizendo que essa Bienal vai bombar (e eu vou falir de vez!).

Parabéns Grupo Editorial Pensamento por mais essa vitória! E que venha à todos nós a Editora Jangada!

Promoção: De Volta às Aulas com a Cabeça nas Férias!


As aulas retornaram, mas você já está com saudades das férias?
Pensando em tornar a volta às aulas mais alegre, 7 blogs se reuniram para presentear 6 sortudos!
Serão 7 kits, com 1 livro mais mimos surpresas cada, sendo que o primeiro sorteado levará 2 kits a sua escolha!

Os livros serão:
  • A Janela de Overton
  • Feios
  • Ladrões de Elite
  • O Morro dos Ventos Uivantes
  • Palavras envenenadas
  • Um Sonho a Mais
  • Uma Proposta Irrecusável

Para participar é fácil, basta seguir atentamente as regras abaixo!

Regras:

1 - Ter endereço de entrega no Brasil;

2 - Seguir publicamente TODOS os blogs da promoção:


3 - Deixar um comentário em qualquer um dos blogs validando a participação;

4 - Preencher corretamente o FORMULÁRIO.


Chances extras:

1 - Seguir os twitters abaixo - preencha uma vez o FORMULÁRIO para cada twitter que seguir;


@fatoselivros


@pah_aleksandra

@mi_simoes

@Clicia_Godoy

2 - Divulgar a seguinte frase em redes sociais:

"De volta às aulas com a cabeça nas férias, @Lisse_Cunha e mais 6 blogs se uniram para sortear 7 livros em http://bit.ly/riHwhF"

Não esqueça que você só pode twittar essa mesma frase 3 vezes ao dia, e preencha novamente o FORMULÁRIO uma vez a cada nova divulgação


3 - Divulgar o banner da promoção no blog. Preencha o FORMULÁRIO mais 1 vez.



A promoção vai até o dia 15/09 e o resultado será lançado no dia 16/09!

Os ganhadores terão até 48h para responderem ao email com o envio dos dados. Caso algum não envie, será realizado um novo sorteio. Os blogs terão até 30 dias para o envio dos prêmios!

Boa sorte aos participantes!

Meus Presentinhos #13

Olá galera!
Hoje tem mais uma seção de "Meus Presentinhos" para vocês. Acho que hoje tem bastante coisinhas legais. Espero que gostem.

COMPREI:

Umas das minhas últimas compras na Saraiva (que já faz tempos!), eu comprei 6 livros maravilhosos que estava muito afim de adquirir.





 Comprei como sempre minha Capricho, que ADOROOOOOOO!

Mês passado teve o Lançamento do livro da Nanda Meireles: Um Sonho A Mais, que eu estive presente e adquiri esse lindinho aí emcima!


GANHEI:

 Minha miguxa Vivi me deu essas duas coisas fofas aí. Tem como não amar?? É Jane Austen né gente! *suspiros* Obrigada amiga, vou ser grata eternamente! S2

A miguxa Nath me deu esses dois marcadores de uma promo que eu participei no Estante dos Sonhos. Valeu amigaaaaa!


A outra miguxa Evellyn também me deu váriooooossss marcadores legais que eu ainda não tinha. Muito obrigada Eve!!


Vivi também levou uns marcadores super fofos pra mim, e ainda mais esse card da Thalita que eu AMEI!!

Vivi, Nath, Eve e eu estivemos no Evento da Meg Cabot. Foi muito bom! E ainda participei do quiz e fui contemplada com esses lindos marcadores de três livros da Meg, um botton e um bloco de anotações. Super lindinho!! ADOREI!


No evento da Meg Cabot, tive o prazer de conhecer Mare Soares, a autora de Chantilly. E ainda ganhei um marcador. Super fofa a Mare!


"Roubei" as livrarias e foi isso que consegui!  *risadinha perversa*


Ganhei da Dri o filme "Mr. Holland - Adorável Professor". Amei Dri! Thanks.

EMPRÉSTIMO:

Não posso reclamar das amigas que tenho. Elas são tão boazinhas!! Valeu Sil e Dri pelos livros. Agora só não sei quando devolvo porque estou com uma lerdeza literária de dar raiva.


Essa semana recebi da Celle do Três Lápis, o livro "E Se Fosse Verdade" do Book Tour do Livros & Bolinhos. Ela foi super fofa e mandou um bilhetinho muito gracinha. E as blogueiras Tathy, Carol e a Aline mandaram marcadores avulsos. Agradeço muito, são lindos! 

CARTINHAS QUE AMO:

Cartinha linda que recebi da Candy. Obrigada! Você foi uma linda surpresa que a blogosfera trouxe pra minha vida. Adoro nossas fofocas no msn e no twitter. Bjks!


A linda Jess do Bookaholic World me enviou (como sempre!) uma linda cartinha e marcadores do blog. Adorei o marcador, tem uma frase muito legal: "A pessoa que não lê, mal fala, mal ouve, mal vê" -  Malba Tahan   Achei lindo!! Obrigadinha Jess, vc é fofa!
A Luana do Partes de um Diário, essa semana me enviou uma cartinha com alguns marcadores do blog dela; em agradecimento por minha participação no Book Tour de Strange Angels. Thanks Lu!


Foi isso. Espero que tenham gostado.
E aproveito para pedir desculpas pela minha falta de postagens. Ando um pouco desanimada para tudo, até para leitura.
E como alguns já sabem, não gosto de fazer nada sem muita alegria e contentamento.
Mas em breve (assim que estiver melhor!) voltamos com a nossa programação normal!

Book Tour: O que há por trás?

É com muito prazer que venho aqui anunciar e fazer a propaganda de mais um livro nacional.
Dessa vez é o livro de uma blogueira-amiga muito especial - Bárbara Lorentz. Já faz um ano que conheço a Babi e já tinha lido algumas das suas fics. Soube a pouco tempo que ela estava escrevendo um livro em especial: O Que Há Por Trás.




Sinopse: O Que Há Por Trás conta a história de Melissa e Thiago. Primos que se envolvem, apaixonam-se e começam a viver uma história de amor. Pelo grau de parentesco, primeiramente eles não contam para a família. Até que o pai de Melissa os vê juntos e resolve começar a impedir que o romance aconteça. Mesmo assim, sendo atrapalhados por uma só pessoa, eles decidem continuar o namoro às escondidas. Mas tudo muda para Melissa quando depois de serem, mais uma vez, flagrados pelo pai da garota, ela recebe uma revelação bombástica que a faz se afastar de Thiago.




A autora Babi nasceu em 19/06/1991 em Teófilo Otoni, MG. Começou a escrever desde novinha quando percebeu que seus pais gostavam de suas pequenas ideias. É uma leitora compulsiva e não sai de casa sem um livro. Escreve sobre eles em seu blog literário que leva o seu nome: http://www.babilorentz.com/.

E para quem quiser já ter uma pitada do gostinha que é o livro, a autora disponibilizou um capítulo para leitura. Clique aqui.
 
Eu espero me divertir muito no book tour. E vamos começar a torcer para que alguma editora olhe para esse livro.
Sucesso para ti Bárbara, e vamos confiar que tudo vai dar certo.